top of page

Messi contraria todas as forças


Estratégia


Messi questiona a estratégia. Não é que a rejeite logo, primeiro coloca-lhe uma resistência, questionando-a.


O decorrer do jogo das meias finais contra a Croácia mostrou-nos que o jogo de encaixes e pressão alta iniciais - na qual ele inicialmente até tomou iniciativa como primeiro elemento no pressionar- foram dando lugar a um jogo mais estabilizado.


Meio campo da Croácia


A desaceleração que ele próprio provocou impôs um novo confronto de forças ao meio campo da Croácia. O poder sobre os ritmos que esse meio campo ia impondo foi assim sendo revertido.


No assentar a Equipa encontra a sua natureza


Controlo sobre o jogo


Quando o jogo assentou, as acelerações no jogo da Argentina passaram a ter mais sentido. Não constantes mas sim nos momentos que o jogo pedia.


Paradoxalmente, o controlo do jogo foi emergindo quando a equipa baixou, assentou, passou a pressionar menos (mas melhor). Este assentar foi estratégico, natural, surgiu por necessidade e até que ponto?


Não sei, mas fiquei com a sensação que Messi, em grande parte, provocou todo este cenário intencionalmente.


Scaloni


"Lionel Scaloni e equipa técnica trabalharam com acerto e sábia discrição. Sabiam que o centro do cenário não lhes pertencia"
Jorge Valdano, artigo do Jornal A Bola "Messi e a paixão", 17/12/22 no capítulo "o Dono do Mundial"

Acredito que a frase de Valdano é verdade, não sei é até que ponto. Mas a influência de Messi é tão grande que o registo acelerado inicial - por influência de uma intenção estratégica? - pode até ter dado lugar, pelo assentar, a uma Dinâmica Colectiva que -ajustando-se ao "aqui e agora" e não deixando de se ajustar ao adversário também- pôs a própria Equipa em primeiro lugar, redescobrindo-se. E onde o próprio deu a mostrar aos companheiros a utilidade desse entrosamento. Afinal não é isso que quer o próprio Treinador?


Síntese do Jogo Infinito

"Encontrou a síntese do jogo infinito (...) Em tudo o que faz há uma bravura competitiva, mas também algo pedagógico, como se nos quisesse dizer, em cada intervenção, que o futebol é isto. Eu acredito e é lindo ver que já todos acreditam, porque o que faz é belo, útil e emocionante (...) Messi escolheu o Mundial para fazer um resumo com sínteses que contêm a totalidade do Futebol"
Jorge Valdano, artigo do Jornal A Bola "Messi e a paixão", 17/12/22 no capítulo "Uma cabeça cheia de futebol"

E com o jogo infinito como sua natureza intrínseca Messi foi, no "aqui e agora", descobrindo as pistas e mostrando-as aos companheiros também. Juntos, encontraram-se, por via do jogo infinito, também com a sua natureza sul americana: uma natureza que alia um Estado D'Alma particular a um jogo que conserva o seu lado "um pouco selvagem". Um estilo no fundo.


E para além disso, encontraram-se também como Colectivo.


Colectivo

Como Colectivo, uma Equipa que o procura e que sabe que dele necessita. Faz-se depender dele deliberadamente sem haver qualquer problema com isso.

Tal Atitude - dele depender deliberadamente- não me parece em nada ser um rebaixar por parte de Treinador e Companheiros, mas eventualmente um sinal de inteligência, humildade... maturidade até.



Um Abraço,


Carlos Miguel


carlos_miguel10@hotmail.com







12 visualizações0 comentário
bottom of page